quinta-feira, maio 31, 2012

O travo da fronteira









































O labirinto das línguas e o segredo da água. Na humidade é que se conjura a devoração dos assaltos. A frescura do veneno,os  sabores alheios e o travo da fronteira.

Pindaro

quarta-feira, maio 30, 2012

Veredas e atalhos










































La beauté fait gagner quinze jours.
Charles-Maurice de Talleyrand-Périgord

 
pindaro

terça-feira, maio 29, 2012

Sedutrice






La meilleure séduction est de n'en employer aucune.
Charles Joseph, prince de Ligne


pindaro

segunda-feira, maio 28, 2012

O divertimento da caçada



 

Por certo que, na natureza, a fome desponta com o divertimento da caçada, a volúpia do ar nas asas, o voo e a perseguição.

Glenway Wescott

pindaro

domingo, maio 27, 2012

Tinge de beijos a minha fome




















 



Um par abraça-se e tinge
De beijos a minha fome
De Marga, que me consome
Num beijo até à laringe.
Como a um toureiro de nome
Um sátiro vibra a siringe…
Mas só a poesia o finge.
vitorino nemésio

pindaro

sábado, maio 26, 2012

Iniciação à geografia






Os verdadeiros lugares não vêm no mapa.

Herman Melville


pindaro

sexta-feira, maio 25, 2012

Tem qualquer coisa de gomo














 






Dá a surpresa de ser.
É alta, de um louro escuro.
Faz bem só pensar em ver
Seu corpo meio maduro.
Seus seios altos parecem
(Se ela estivesse deitada)
Dois montinhos que amanhecem
Sem ter que haver madrugada.
E a mão do seu braço branco
Assenta em palmo espalhada
Sobre a saliência do flanco
Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco.
Tem qualquer coisa de gomo.
Meu Deus, quando é que eu embarco?
Ó fome, quando é que eu como?

Fernando Pessoa

pindaro

quinta-feira, maio 24, 2012

Nadaria mais rios






Se eu pudesse novamente viver a vida...
Na próxima...trataria de cometer mais erros...

Jorge Luis Borges
pindaro

quarta-feira, maio 23, 2012

Futuro à vista




























Amor é futuro à vista.
João Guimarães Rosa


Pindaro

terça-feira, maio 22, 2012

Jogos de apimentar o nervo





E o incitava com picanterias, jogos de apimentar o nervo e arrepiar as carnes.
Mia Couto

Pindaro

segunda-feira, maio 21, 2012

Y dio por terminado su baile






Descubrió muy pronto que era raro, guapo, pequeño y divertido y convirtió cada uno de estos adjetivos en un arma. Un día la maldad absoluta vino a su encuentro cuando se hallaba con un martini en la mano, y dio por terminado su baile.
Manuel Vincent
Pindaro

domingo, maio 20, 2012

Amor sobre amor





Questão é curiosa nesta Filosofia, qual seja mais precioso e de maiores quilates: se o primeiro amor, ou o segundo? Ao primeiro ninguém pode negar que é o primogénito do coração, o morgado dos afectos, a flor do desejo, e as primícias da vontade. Contudo, eu reconheço grandes vantagens no amor segundo. O primeiro é bisonho, o segundo é experimentado; o primeiro é aprendiz, o segundo é mestre: o primeiro pode ser ímpeto, o segundo não pode ser senão amor. Enfim, o segundo amor, porque é segundo, é confirmação e ratificação do primeiro, e por isso não simples amor, senão duplicado, e amor sobre amor. É verdade que o primeiro amor é o primogénito do coração; porém a vontade sempre livre não tem os seus bens vinculados. Seja o primeiro, mas não por isso o maior.

Padre António Vieira

pindaro

sábado, maio 19, 2012

Arte da respiração




























Se os outros me abandonam é porque devo estar a aproximar-me do essencial.
Casimiro Brito
pindaro

sexta-feira, maio 18, 2012

Miradouro da giesteira





À mercê dum vento brando
Bailam rosas nos vergeis
E as Marias vão bailando
Enquanto vários Manéis
Nos harmónios vão tocando
A folhagem ressequida
Baila envolvida em poeira
E com a razão perdida
Há quem leve a vida inteira
A bailar com a própria vida
Baila o nome de Jesus
Em milhões de lábios crentes
Em bailado que seduz
E as falenas inocentes
Bailam á roda da luz
Tudo baila, tudo dança
Nosso destino é bailar
E até mesmo a doçe esperança
Dum lindo amor se alcançar
De bailar nunca se cansa

A. Marceneiro

pindaro

quinta-feira, maio 17, 2012

Me vêm agonias de grandes espessuras






Ver-te. Tocar-te. Que fulgor de máscaras
Que desenhos e rictus na tua cara
Como os frisos veementes dos tapetes antigos
Que sombrio te tornas se repito
O sinuoso caminho que persigo: um desejo
Sem dono, em adorar-te vívido mas livre.
E que escura me faço se abocanhas de mim
Palavras e resíduos. Me vêm fomes
Agonias de grandes espessuras, embaçadas luas
Facas, tempestade. Ver-te. Tocar-te.
Cordura.
Crueldade.
Hilda Hilst


Pindaro

quarta-feira, maio 16, 2012

O quid magnético










































As mulheres porém não precisam de ser bonitas para serem amadas até à idolatria. Basta-lhes que possuam o quid magnético que chama o pirilampo para a pirilampa através do escuro incomensurável.
Aquilino Ribeiro
pindaro

terça-feira, maio 15, 2012

Uma boa entrada



 

Mas foi uma boa entrada - a dele. Comprido, esbelto, desprendido, vago, e de certa forma indolentemente distinto - como um gatafunho de uma mão talentosa...

Martin Amis
pindaro

segunda-feira, maio 14, 2012

De brusler dans les flammes











































Quels doux supplices

Quelles délices,

De brusler dans les flammes

De la beauté des Dammes

Antoine Boesset

pindaro

domingo, maio 13, 2012

Unissent les quatre éléments






 

Et nos caresses paysages
Nos premiers baisers de printemps
Nos lourdes étreintes d'orage
Unissent les quatre éléments

P. Eluard


pindaro

sábado, maio 12, 2012

O amor fino não há-de ter porquê




























O amor fino não há-de ter porquê nem para quê.
Se amo porque me amam, é obrigação, faço o que devo; se amo para que me amem, é negociação, busco o que desejo.
Pois como há-de ser o amor para ser fino?
Amo porque amo e para amar.
Padre António Vieira

pindaro

sexta-feira, maio 11, 2012

Sensualidades incorporadas.



















Gosto de dizer. Direi melhor: gosto de palavrar. As palavras são para mim corpos tocáveis, sereias visíveis, sensualidades incorporadas.
Bernardo Soares

pindaro

quinta-feira, maio 10, 2012

O efeito romanesco












 

...e assim perderia todo o efeito romanesco: onde, sim, se finge contar coisas verdadeiras, mas não se deve dizer a sério que se finge.
Umberto Eco


pindaro

quarta-feira, maio 09, 2012

In order to end in a photograph




 

Mallarme said that everything in the world exists in order to end in a book. Today everything exists to end in a photograph.
Susan Sontag
pindaro

terça-feira, maio 08, 2012

Uma deusa a passear na praia




























 












 

O sol e o mar deram à tua pele
O tom do bronze, a cor da eternidade.
E agora, nos meus olhos de poeta,
És uma deusa eterna a passear
Na praia iluminada.
Imaginada
Num poema despido,
Desafias o tempo, olímpica e sagrada,
Humana só na sombra de o teres sido.
Miguel Torga

 
pindaro

segunda-feira, maio 07, 2012

Os farpões do Amor






Quem de meus versos a lição procura,
Os farpões nunca viu de Amor insano,
Nem sabe quanto custa um vil engano
Traçado pela mão da formosura.

Pedro Antonio Correa Garção
pindaro

domingo, maio 06, 2012

Campo magnético























Quem tem bastante no seu interior, pouco precisa de fora.
Johann Goethe


pindaro

sábado, maio 05, 2012

Queremos a solidão do grande mar























 

A solidez da terra seca, monótona,
parece-nos fraca ilusão.
Queremos a solidão do grande mar,
multiplicada em suas malhas de perigo.
Queremos sua solidão robusta,
uma solidão para todos os lados, uma ausência humana que se opõe ao mesquinho formigar do mundo.

Cecília Meireles


pindaro

sexta-feira, maio 04, 2012

Para a delícia das coisas imperfeitas























- Oh Deusa, o irreperável e supremo mal está na tua perfeição!
E, através da vaga, fugiu, trepou sofregamente à jangada, soltou a vela, fendeu o mar, partiu para os trabalhos, para as tormentas, para as misérias - para a delícia das coisas imperfeitas!

Eça de Queiroz

pindaro